Arquivo mensal: novembro 2020

O SAL, uma história – parte 3.

Vou falar algo que NUNCA te contaram! A insulina (liberada quando consumimos açúcar, grãos, tubérculos e suas farinhas) sinaliza aos rins pra que eles retenham sódio. Isso pra que o corpo retenha mais água pra aumentar o volume plasmático, diluindo o açúcar (glicose), fazendo cair a glicemia.

Imagine que sua casa tem ao todo 50m de canos (nossas artérias). Os 50m de cano da casa tem que agora acomodar mais água. Só que com os mesmos 50m, mais água significa aumento da pressão!

É ISSO que acontece quando elevamos nossa insulina ao comer muito amido ou açúcar. Não que o AÇÚCAR (ou o amido e glicose) retenham sal, mas é a INSULINA que faz isso! Veja que curioso: não é o SAL, mas o AÇÚCAR (insulina!) que eleva a pressão! O sal é a ferramenta pra elevá-la, não é a CAUSA!

Hipertensão é assim causada pelo corpo em resposta ao consumo de AÇÚCAR & AMIDO! NÃO de sal!

A miopia na turma da saúde vem ainda por outra razão. Muitos alimentos industrializados são ricos em sal! Isso porque o sal é um estabilizador e um elemento que dá mais palatabilidade às receitas (pergunte a qualquer doceira de mão cheia, elas colocam pitadas de sal nas receitas de doce). Ele é barato, prático e eficiente! O refrigerante é doce? SIM! E nele vai muito SAL! A indústria SABE há décadas desse poder dele!

Por isso ainda que quando um hipertenso emagrece (geralmente reduzindo seus níveis de insulina, o hormônio engordativo) a hipertensão também cai! (nisso até “especialistas” de meia tigela da TV acertam sem saber pedindo que emagrecimento. Não é o peso que tem que cair, mas os níveis de insulina!)

Estou quase acabando!

Caso amanhã inventem fast-food com ZERO sal (ou sódio) ele continuará sendo maléfico ao hipertenso porque fast-food por natureza tem carboidrato refinado, elevando a INSULINA, ele contendo ou não sal.

Pra encerrar, o cético deve estar pensando: “quer dizer então que o Balu se acha o gênio que viu algo que o mundo inteiro nunca viu?”

NÃO! TUDO que escrevi acima está na página 2 de qualquer livro VAGABUNDO de fisiologia! É sabido há muito tempo! Não se esqueça: diretrizes nutricionais e médicas envolvendo saúde, emagrecimento e hipertensão são baseadas em sentimento, desejo e pensamento por aproximação.

O SAL, uma história – parte 2.

Falei dias atrás sobre borboletas beberem lágrimas de tartarugas e elefantes lamberem sal pra conseguir sódio.
Nutricionistas e médicos vivem falando que SAL faz mal, que causa hipertensão… SERÁ?!?
As diretrizes recomendam sal com moderação. Mas a absoluta maioria de nós ultrapassa o valor pedido.
Os especialistas alegam que sal é perigoso porque aumenta a pressão arterial e o risco cardíaco e renal. Existem evidências? Se bem me conhece já deve imaginar que não, afinal, as diretrizes não se baseiam em evidências, mas em sentimentos e desejos.
Consumir sal tem um efeito AGUDO no aumento da pressão. O corpo retém mais água pra compensar o aumento do sódio. Por isso alimentos salgados dão sede, é uma resposta natural, é o corpo cuidando do equilíbrio. A retenção líquida aumenta a pressão que cairá quando os rins eliminarem sal e água. Ou seja, é uma hipertensão MOMENTÂNEA.
O desafio é descobrir quando o efeito agudo vira crônico com consequências sérias. Ao focarmos a atenção no sal/sódio como causa corremos o risco de deixar passar o verdadeiro vilão.
A origem da teoria do sal como causa da hipertensão é de 1940 quando o médico Wallace Kempner desenvolveu a “dieta do arroz” e SEM EVIDÊNCIAS convenceu uma geração de médicos sobre a tese.
A dieta dele restringia fortemente o sal. Porém, Kempner também mexia com a quantidade de OUTROS nutrientes. Quando a dieta não funcionava, usava-se o argumento tão usado quando não se sabe a resposta do problema: terceirizava a culpa. Se a pressão não caía, a culpa era do paciente. É como fazem hoje quando a pessoa não emagrece cortando calorias!
Não existem evidências que justifiquem as recomendações para reduzir o consumo de sódio. Mais do que isso: não sabemos qual o excesso de sal que faz mal, mas sabemos que POUCO sal é BEM PERIGOSO! Exemplo: a dose equivalente para fazer um rato hipertenso equivale a 500g de sal a um humano adulto!
Bom, o que era hipótese virou norma, AINDA QUE SEM provas. A diretriz hoje se apoia em um ÚNICO estudo, o DASH, feito em 2001 e que durou apenas 30 dias com somente 412 indivíduos!
Como é bem típico na Nutrição, as diretrizes quanto ao consumo de sal parecem ignorar a ciência!

O SAL, uma história.

Repare nas borboletas do  vídeo que vai abaixo… Elas pousam para beber a lágrima das tartarugas por causa do sal. Isso mesmo! Esse é um hábito desses insetos porque o sal é essencial à vida. Animais como os elefantes lambem pedras para conseguir sal.

Sal, aliás, é tão importante que era moeda de negociação na antiguidade.

Você sabia que é mais fácil matar alguém tirando sal do que dando sal?? Isso porque ele é um elemento que percebemos quando está em excesso. A ideia de que sal faz mal, aliás, é tão estúpida que só pode ser defendida por acadêmicos… Sal é um marcador de quando o alimento é processado, industrializado, ele não é a causa, mas um sinal da baixa qualidade nutricional.

A teoria de que sal causa hipertensão é de uma teoria preguiçosa ainda da metade do século passado, da qual falei bastante aqui. Ao longo dos séculos o consumo de sal, aliás, só caiu e o de hipertensão apenas… subiu!

Tirar o sal da comida é como achar que os sapatos dão ressaca porque sempre quando acorda morrendo de dor de cabeça percebe que dormiu com eles. Não são os sapatos, é o álcool! Não é o sal, é muito provavelmente o açúcar! (Foi ESTE que aumentou em paralelo com a hipertensão)

O convido então a ler o que nunca te contaram sobre sal e hipertensão!