Arquivo mensal: julho 2020

Via Negativa vs Via Positiva

Nas minhas respostas recorrentemente cito o conceito da Via Negativa, que é – imaginam – o oposto da Via Positiva no tratamento de várias questões (problemas). A via NEGATIVA parece sempre se mostrar uma melhor opção que a Positiva porque o conhecimento seria subtrativo. Ao contrário do que a suposição de que ele seria aditivo. Isso porque o conhecimento vai nos mostrando aquilo que NÃO funciona… ele vai SUBTRAINDO opções erradas.

O mundo da pesquisa científica, por premiar “acertos” ou confirmações de teses e teorias concebidas pelo pesquisador, resulta em cientistas fazendo experimentos para PROVAR seu ponto. Porém, nós somente PROGREDIMOS quando nos provamos ERRADOS. O pesquisador fica reunindo cisnes brancos quando sabemos que ele bastaria encontrar UM ÚNICO exemplar negro pra derrubar a tese (SUBTRAINDO) de que todos são brancos. Mas – reforço – ele ganha (dinheiro e reputação) amontoando aves brancas para mostrar em congressos e simpósios que reúnem somente seus pares.

TODO meu trabalho com Nutrição é BASICAMENTE ficar TIRANDO o lixo da dieta dos clientes, ou seja, a via Negativa. Quando um fumante vai ao médico, o médico pede para ele parar de fumar (Negativa) porque tomar cápsulas de anti-oxidantes (Positiva) mantendo o hábito do fumo NÃO resolve o problema.

O que mais noto nas perguntas que me chegam é SEMPRE as pessoas querendo recorrer à Positiva porque a Negativa exige RENÚNCIA. Em um mundo de abundância por que abrir mão da cerveja, do bolo, do sorvete, do açúcar se pesquisadores que vivem ($$$) da via Positiva alegam que basta tomar suplementos que eles vendem?

O suco verde é isso… a opção integral dos pães também… trocar pão por tapioca…é sempre AGREGAR algo porque RENUNCIAR ao algo exige desconforto. E você SEMPRE terá diplomados dizendo que dá certo, afinal, são pagos pra isso!

Acho que a Psicologia talvez ofereça explicações melhores de por que vivemos uma época onde todos parecem querer comer omelete sem quebrar ovos, nadar sem se molhar. Onde o que NUNCA deu certo antes (recompensa sem sacrifício) venha na forma de pílulas e equipamentos. É a era do pensamento mágico da fé. E da obesidade. Talvez haja relação, não?

COVID, obesidade, patrulha e o Elefante na sala

A pandemia trouxe tragédias irreparáveis, mas crises trazem também lições. Ainda temos mais dúvidas do que certezas sobre a doença que assola o planeta. Compreendemos pouco sua disseminação… Calor, densidade populacional, altitude… para cada exemplo indicando uma coisa chegam exemplos contradizendo.

Uma das primeiras tarefas dos profissionais de saúde é identificar quais grupos correm mais riscos. Olhar só a data no RG é simples. Tínhamos que ir mais fundo se quiséssemos mais. Aí foram aflorando… diabetes, hipertensão…

Há um padrão muito claro: acima dos 60 anos a pessoa tem chances MUITO maiores de morrer. POR ISSO mesmo, quando um jovem falecia vítima da doença a imprensa destacava: “jovem de 20 tantos anos é vítima de COVID”. E você abria a matéria e estava lá que “Fulano não pertencia ao grupo de riscos, era jovem, ativo e saudável”. E pesava 137kg.

No começo eu achava que era ignorância. Depois me dei conta: era patrulha. Vivemos em tempos nos quais dizer o óbvio é errado. Por ANOS os profissionais de saúde por ignorância criaram o mito do “gordinho saudável”. Peso de 3 dígitos, mas colesterol, um marcador HORRÍVEL, estava em dia. Porém, NADA bate mais forte que a realidade, NADA destrói mais nossas crenças do que os fatos.

A obesidade – goste ou não, admita ou não – cria um estado inflamatório crônico, PERMANENTE. Não há glorificação da obesidade que derrube isso. Peter Pan podia anular a lei da gravidade com pensamento. Mas o gordo/obeso não consegue com pensamento mágico, campanhas de valorização e afirmação vencer as leis biológicas. NÃO EXISTE OBESIDADE SAUDÁVEL.

Mas dizer que alguém é obeso nos tempos atuais virou uma ofensa de ordem moral, ainda que seja uma questão meramente física. E aí se resguardando de críticas, a imprensa propositadamente ignorava que a pessoa mal cabia na foto da reportagem enquanto a legenda dizia que ela era… saudável. Os profissionais de saúde falharam tecnicamente, a imprensa moralmente.

Mas nada supera a realidade.

Como mostra a foto do post, está cada vez mais difícil negar um fato: a obesidade DIMINUI a imunidade, DIMINUI a expectativa de vida de uma pessoa (com ou sem COVID) isso porque o conceito de gordinho saudável é um MITO que DEVE ser derrubado.