Arquivo mensal: janeiro 2020

GASTO ENERGÉTICO: uma entidade pouco compreendida

Fiz 3 anos de Engenharia Civil. Eu achava que seria engenheiro porque sempre gostei de contas. Tanto no colégio quanto no Laboratório de Física, já na POLI-USP, fazíamos experimentos de termodinâmica. Aquecíamos materiais isolados fazendo cálculos pra ver como se comportavam.

A Nutrição, em um reducionismo, num “pensamento por aproximação”, passou a tratar nosso organismo (biológico!) como uma lâmpada incandescente ou uma esteira ergométrica, ou seja, considera tudo pelo lado físico, matemático, ignorando inúmeras DEZENAS de hormônios que regulam nosso organismo, seu peso e funcionamento. Não tinha como dar certo, por isso é um fracasso no controle do peso!

Sábado fui treinar na volta da grade do Ibirapuera com um amigo de longa data. Pelo pensamento por aproximação e reducionista da nutrição, você poderia ADICIONAR o gasto do treino ao total energético de nosso dia. Na faculdade ensinam equações de gasto energético que funcionam PURAMENTE por FÉ. A base dessas equações NÃO passariam em “Laboratório de Física Elementar pra Iniciantes” se existisse. Por quê? Elas se baseiam em PURA e PORCA extrapolação.

Na POLI se você errasse UMA conta o professor de Resistência de Materiais dava zero e dizia “o caminhão derrubou a ponte” (aconteceu COMIGO!). Na Nutrição você faz a conta, a pessoa não emagrece e você dá zero é pra ele.

No mesmo sábado dormi de tarde. Foi a primeira vez em semanas! Motivo? Foi meu treino mais longo no período! Foi o jeito que meu corpo encontrou pra me trazer ao equilíbrio, de COMPENSAR um maior gasto energético matinal! Eu NÃO gastei mais energia no dia, eu CONCENTREI o gasto pela manhã! POR ISSO que aumento de volume de treino NÃO vem com gasto energético ou perda de peso equivalentes! Já disse antes: eu DORMIA TODO sábado (longos) em minhas últimas maratonas. Não CONSEGUIA ficar acordado.

O gráfico do post mostra um modelo compensatório de gasto energético porque ele parte da premissa de que nosso corpo NÃO funciona como uma máquina, mas como um organismo biológico, VIVO. A extrapolação de gasto calórico NÃO faz sentido porque o gasto NÃO é linear.

Meu experimento com a Coenzima Q10 (CoQ10)

Acabei recentemente outro experimento pessoal. Como sempre faço com essas papagaiadas que aparecem na corrida, terminei um período de 60 dias de suplementação com a CoQ10, a Coenzima Q10, uma das preferidas dos atuais “vendedores”.

Por que faço isso?

No começo, em meus tempos mais ingênuos, eu fazia porque acreditava. Foi ainda em 1997 que usei um tempo BCAA. Ex-professores, que não correm, não dão treino nem trabalham com corrida, apenas vendem para corredores, falavam de seus (supostos) benefícios. Então comprei (por isso ninguém tem que ter vergonha quando for enganado. Você só precisa rever por que você QUER SER enganado).

Eles ainda vivem de vender essas coisas. Deve ser duro 20 anos buscando evidências sem sucesso que não seja comissão…

Pra quem já usou palmilha de silicone, multivitamínico e até recovery pós-treino, 60 dias de Q-10 era fácil. Então comprei.

Comprei porque é mais honesto. 2 ou 3 telefonemas e teria amostras em casa (vez ou outra um desavisado me oferece “parceria” de suplemento… Ninguém elogia isso em rede social de graça!).

Primeiro efeito colateral: estou R$75 mais pobre. Único benefício observado: estou livre da ideia de que CoQ10 sirva pra algo na corrida.

Tem gente muito boa que acompanho que usa esse suplemento. Pedem que seus clientes (NÃO-corredores!) usem algumas semanas quando estão em transição de uma dieta “junk” para uma dieta low-carb.

Alguma intenção de desempenho? Não! Para evitar fadiga mitocondrial, buscando melhora de disposição e cognição nessa mudança de dieta.

Não há lógica para o desempenho. Dá um alívio ouvir isso dos 2!

Todo janeiro é sempre igual…

O que engorda não é o que comemos entre o Natal e o Ano Novo, mas entre o Ano Novo e o Natal”… Essa frase faz sentido? Em partes! Um levantamento BEM interessante mostra que os americanos engordam entre o Dia de Ação de Graças (Thanksgiving) e o Ano Novo um peso do qual eles nunca mais se livram. Sendo assim, CUIDADO! Talvez agora seja MESMO a hora de fazer regime!

A mudança no calendário tem um poder quase incalculável de nos motivar. Roberto Pompeu de Toledo chamou de gênio quem teve “a ideia de cortar o tempo em fatias” porque isso “industrializou a esperança, (…) aí entra o milagre da renovação e tudo começa outra vez, com outro número e outra vontade de acreditar que daqui para diante tudo vai ser diferente”.

Hoje fui à academia. Tudo deserto. Sabendo que mesmo ao contrário do que diz o ditado, em média REALMENTE ganhamos um peso do qual não mais nos livramos. Então, encare a realidade! Se mexa! Não só no sentido de ir treinar (já que atividade física é INEFICIENTE ferramenta pra isso)! Mas comece HOJE a mudança a que se propôs no final de dezembro!

A imagem que separei neste post foi de uma pesquisa que fiz no Google… repare no padrão… há picos de procura pela palavra DIETA em janeiro, para depois o interesse cair enquanto sobe o número da balança.

Você pode esperar 2a feira para começar, mas saiba que até lá estará já ao menos dias ATRASADO. A gente SABE que se você começar 2a feira e não AMANHÃ, no final do ano você renovará a promessa, tudo começará outra vez, com outro número e outra vontade de acreditar que daqui para diante tudo vai ser diferente. Mas será tudo igual…

Comece! De verdade! Uma dieta saudável é uma das coisas que melhor você pode fazer pela sua saúde.

Açúcar? Farinha? É de comer até morrer! Literalmente!

Ou AINDA: não são as calorias, estúpido!

A imagem abaixo viralizou no Twitter. Nela há um gambá que invadiu uma padaria e comeu tantos doces e farináceos que ficou assim, como se estivesse embriagado, sem reação, coisa típica de quem está mais do que nauseado, mas sob efeito de DROGAS.

Qualquer um que já correu no Parque do Ibirapuera bem de noite já descobriu que gambá é um marsupial que começa a caçar/coletar alimentos de noite. Porém, sua alimentação na natureza consiste basicamente de ovos, frutos, vermes, insetos, lagartos, anfíbios e até mesmo filhotes de pássaros. Não precisa ser grande entendedor pra deduzir que sua dieta é à base de proteínas. (*ok você leu “frutos” ali, mas apenas no Pão de Açúcar e no Carrefour frutas estão disponíveis o ano todo, no mundo REAL, aquele que a Nutrição INSISTE em ignorar, elas são raras e sazonais).

Enquanto escrevia O Veterinário Clandestino um “mandamento” recorrente de um autor ficou na minha cabeça: NADA é mais engordativo do que o alimento feito pelo homem. Daí deduzimos que se você quer manter-se magro precisa FUGIR daquilo que foi “inventado” pelo homem! É MUITO, mas MUITO difícil engordar alimentando-se de alimentos NATURAIS à espécie! *Por isso que a recomendação de veterinários que dizem que ração é o alimento ideal a cães e gatos é SURREAL.

Por algumas vezes já escrevi aqui da capacidade da farinha e açúcar em causar dependência. Existem obviamente os profissionais que adoram negar a realidade e insistem em dizer que não. Repare no animal da foto. Um animal selvagem que está EXPOSTO, correndo risco de VIDA porque está vulnerável aos seus predadores naturais porque não consegue dizer “não” a uma comida NÃO-natural, que foi feita para nos VICIAR (o vendedor, tenha SEMPRE isso em mente, quer vender MAIS, ele não tem o MÍNIMO compromisso com sua saúde).

Esses alimentos têm uma combinação NÃO existente na natureza. NÃO existe naturalmente a combinação carboidrato-gordura nem a combinação muito açúcar/baixa fibra. Uma vez que nos deparamos com isso, comemos sem NENHUM controle. A ponto de abrir mão do que nos há de mais valioso, a própria VIDA.

 
*Se você gostou do que leu aqui, estou certo de que vai gostar do que vai encontrar de surpreendente no e-book O Veterinário Clandestino! Se preferir a versão impressa, compre aqui!

De Influenciadores, “Skin in the Game” & Expertise

EXPERTISE: palavra de origem francesa que significa experiência, especialização, perícia. Conjunto de conhecimentos de alguém”.

Não é saber o que importa, mas saber aquilo que NÃO importa.” Novamente é a superioridade da Via Negativa, pois sabemos mais aquilo que NÃO é. O conhecimento é, pois, SUBTRATIVO.

Dias atrás com o Silas Rodrigues e o Leo Moratta o tema treinamento veio à tona. Acho que o Silas quem disse: sabe como sei que Bosu, prancha, fitball e esses malabarismos NÃO funcionam (pra ganho de força)? Porque quem orienta NÃO usa isso em SEU próprio treino pessoal. Elas mandam os OUTROS usarem. Eles não usam!

Uns leitores se assustaram qdo eu disse que NÃO leio artigos e que pra algumas coisas você NÃO precisa ler absolutamente NADA. O meio FILTRA a você o que REALMENTE importa.

Veio à tona uma denúncia GRAVE. 3 famosos influenciadores britânicos foram gravados aceitando ($$) promover uma bebida pra perda de peso. Só que eles NUNCA tinham experimentado e o produto tinha propositadamente um ingrediente LETAL ao ser humano.

Voltamos ao “faça o que eu faço” DESDE QUE de graça! Eu NUNCA vi alguém que recomendasse BCAA, Coenzima Q10 ou Palatinose que USE isso e que não tenha benefício ($) por usar. Temos que: ou a pessoa NÃO usa porque sabe que NÃO funciona, ou SÓ usa porque isto lhe é conveniente ($)! Expertise é sem precisar ler NADA saber que esse consumo NÃO é bom!

A teoria do Silas me fez lembrar de um episódio de anos atrás. Eu me reunia com mais 5 treinadores, todos experientes, conhecidos e ainda hoje no mercado. Corríamos 12km juntos 2 vezes na semana. Zero educativos, sem alongar (antes ou depois), sem hidratação a cada 15 minutos, sem FC, sem tênis pra “nossa pisada” (ganhávamos tênis), sem análise biomecânica. Por quê? Porque SABEMOS o que importa. Ignoramos o que não importa. É nosso EXPERTISE.

 *****

p.s.: tempo atrás postei agradecimento a uma marca por me enviar um tênis que escolhi. Um influencer que gosto muito mandou mensagem dizendo que me igualei aos que critico. Ele disse pra NÃO agradecer, ou agradecer postando link de venda comissionada. O meu ponto é: eu NÃO posso ter NENHUM benefício ($).