Arquivo mensal: novembro 2019

PALATINOSE – 3 funções essenciais

Pro leitor entender, palatinose é basicamente um açúcar caro. Pro leigo saber, tudo que termina em “ose” na nutrição possui grandes chances de ser açúcar (glicose, frutose, dextrose… palatinOSE). A dificuldade que profissional de saúde tem com carboidrato é de não entender que ele vai virar açúcar no organismo (e isso NÃO É necessariamente ruim!!!)… É a FÉ que rege basicamente todas as diretrizes da área.

Não me pergunte pra quê ingerir palatinose antes ou durante a corrida… Eu não sei a razão… O que eu sei é que em um mundo com tamanho fluxo de informação aprendi que ela serve pelo menos pra 3 coisas. E a última dela é ESSENCIAL.

1. ELA ATRAPALHA. Skin in the game.

Esporte é a prática mostrando sua superioridade funcional sobre a teoria. Em TUDO no esporte você antes observa a prática e só então CRIA a teoria, a explicação. NÃO o inverso. Se os melhores do mundo não ficam carregando palatinose antes dos treinos, quem a consome gera um ritual que tira o foco daquilo que REALMENTE importa. Mantra: faça aquilo que os melhores da prática fazem, não o que teóricos pregam!

2. ILUDE.

São conhecidos os efeitos do placebo. A pessoa que acha que palatinose funciona pra algo só nos reforça o poder do placebo. A energia que ela oferece é tão irrisória, é tão sem fundamento, que somente um nutricionista ou um acadêmico ou um vendedor são capazes de defender vantagens de seu consumo. Então, e aqui não há nenhum problema, é preciso admitir que seu efeito é TÃO SOMENTE como placebo. É como uma confissão: sua eficiência se baseia num conhecido NÃO-funcionamento. Ela te ilude ou ainda: você PRECISA ser iludido.

3. ELA POUPA O MEU TEMPO (o meu mesmo!!)

Ela me ajuda porque de cara sei duas coisas. A primeira: eu sei que quem consome foi enganado (e aqui vale dizer: NÃO há NENHUM problema nisso! Eu mesmo fui enganado por anos nas faculdades… Seja por professores que nunca correram, seja por professores que invertiam a ordem essencial de prática e teoria, seja por professores que não sabiam o que estavam falando e ainda pelo pior tipo deles, professores que nos forçavam a comprar seus livros nas disciplinas que davam.

Além do uso da palatinose me mostrar quem foi iludido, enganado (reforço: não há NENHUM problema aqui!), em uma vida corrida ela me mostra ainda que o profissional que recomenda ou não tem IDEIA do que está falando (e é só burrinho, coitado). Ou está só nos vendendo mesmo. Aí é preciso de classificá-lo pelo que ele é: vendedor. E não há mal nisso. É só mais direto. E poupa meu tempo.

De azeitonas, mangas e suco de tomate…

Estava em férias pela Grécia. Um dos produtos locais é o azeite. Eu NUNCA tinha visto tantas oliveiras carregadas e elas existem pelas ruas em canteiros abertos. A azeitona é biologicamente uma fruta, igual uma manga, um limão e um… tomate.

Quando era moleque, em minhas férias escolares ia a Tietê (SP), cidade de minha avó. Quando era época de manga (frutas são sazonais, tenha isso em mente! O homem é que a fez disponível por 365 dias ao ano) a molecada subia no pé para pegar as mangas ainda verdes que AINDA ASSIM são mais doces que qualquer azeitona ‘in natura’.

As oliveiras gregas não contam com crianças brigando para comê-las ainda no pé. Por quê? Porque elas carecem daquilo que faz as pessoas comerem frutas de sobremesa: açúcar.

Por que as pessoas não fazem saladas de frutas com azeitonas, limão, berinjela, maracujá e tomate? Porque são baixas em açúcar e relativamente altas em fibras.

 

As pessoas buscam em uma fruta o mesmo que buscam em um bombom, um kit-kat ou num Oreo: muito açúcar, baixa fibra. Quando não encontram, como acontece na azeitona ou no tomate, não o consomem como fruta. Ou, no melhor dos casos, fazem SUCO de tomate, que é um modo de você CONCENTRAR o açúcar e REDUZIR a fibra.

Não entendo a dificuldade que profissional de saúde tem de não entender algo tão básico: SUCO oferece MUITO açúcar em escala NÃO-NORMAL, sendo assim, NÃO TEM COMO seu consumo ser saudável!

As frutas como as conhecemos hoje foram TÃO alteradas para ter MUITO açúcar, POUCA fibra e estar disponível o ano todo, que devem ser consumidas com muita moderação. Legumes e folhas SIM. Fruta? É indulgência.

O delírio do pré-treino

Duas perguntas recebidas no Instagram me reforçam o delírio coletivo de toda uma sociedade (que os autores das perguntas não se ofendam, os exemplos são apenas sintomas sociais). Ei-las:

1. Quanto tempo após comer se pode correr sem perder rendimento?

2. O que comer antes de treinar?

Na minha experiência – vamos lá – eu NUNCA conheci um Nutricionista que entendesse de esporte. Eu não disse que eles não existem! Só disse que não conheço nenhum. NEM. UM.

Certa vez conversava com um cliente acima do peso e ele me dizia que queria perder peso correndo. Expliquei que ele, nordestino, poderia vir caminhando de sua cidade até SP e AINDA ASSIM lhe sobraria gordura corporal de sobra. Aqui 2 pontos:

– Corrida/caminhada gasta poucas calorias;

– O desafio não é gastar, é conseguir ACESSAR sua reserva energética.

Porém, e esses Nutri-Nesfit que recomendam suplemento e pré-treino JAMAIS entendem – até porque não sabem NADA de esporte – , você NÃO TEM acesso à sua reserva pré-alimentado! Por vários motivos. Um fisiológico é que comer eleva os níveis de insulina que INIBEM a queima de gordura. Isso está na aula 2 de Fisiologia (na primeira o professor se apresenta e fala as datas da prova). O nutricionista que prescreve pré-treino em amador deve ter faltado nessa aula.

O motivo conceitual é mais simples! Não faz sentido NENHUM comer antes de atividade física porque em nosso modelo evolutivo os ancestrais quando jejuavam por não TER comida estavam procurando por ela, eram fisicamente ATIVOS. Sendo assim, o padrão é fazer ATIVIDADE FÍSICA enquanto estiver em jejum! Nenhuma criatura selvagem adulta descansa quando não possui calorias!

Tem mais! É JUSTAMENTE quando temos grande fonte de energia endógena (gordura corporal) que nosso cérebro avisa ao corpo de que NÃO precisamos mais ser ativos pra encontrar comida. Já disse aqui: é um ENORME erro interpretativo esperar que alguém com sobrepeso seja MAIS ativo, mais disposto.

Energia endógena –> letargia e sedentarismo.

Energia exógena –> descanso.

A Nutrição como prática VIVE de negar a realidade. Por isso é um fracasso.

Sobre GRÃOS e valor nutricional

Um conceito muito pouco divulgado e compreendido na Nutrição (NUNCA tive na faculdade, por exemplo) é o que trata da riqueza nutricional de um alimento. Para isso você PRECISA considerar 2 elementos: quantidade de nutrientes (isso parece bem óbvio) e a de energia (bem menos óbvio, mesmo entre profissionais).

Para dizer que AVEIA, por exemplo, é nutritiva, rica em fibras, você precisa atropelar ou fingir não saber (ou não saber mesmo!) 2 coisas: que ela oferece POUCA fibra (muito mais carboidrato) e MUITO pouca fibra por caloria consumida. Dizer que AVEIA é saudável e fonte de fibras por TER fibra é dizer que açúcar mascavo é saudável por ter vitaminas. Em AMBOS os casos você ignora a energia consumida.

ENTRAM OS GRÃOS

Em TODAS as rodadas de perguntas aparecem questões sobre arroz. Necessários? Saudáveis? Maléficos?

Eu NÃO consumo (nem recomendo!) NADA de grão que não seja PURA indulgência e consumo MUITO reduzido. Se a história da humanidade fosse resumida em 24 horas, grãos passaram a ser consumidos nos últimos 5 MINUTOS.

GRÃOS NÃO são naturais à dieta humana. Ponto. São frutos da Revolução Agrícola (não confunda com a Industrial).

Por não serem naturais, eles são consumidos agora de forma refinada (agora sim, após a Revolução Industrial) são de certa forma bem TOLERADOS em nossa dieta, o que é bem DIFERENTE de ser bem-vindo à dieta!

POR QUE NÃO CONSUMIR GRÃOS?

Por 2 lógicas. A primeira é porque não são NATURAIS à nossa dieta. O tempo é a MAIOR e MELHOR variável para cálculo de risco. Se por 23h55 estava “tudo bem” SEM grãos e nos últimos 5 minutos comemos grãos e estamos MUITO doentes, por PRECAUÇÃO você o TIRA da dieta.

A segunda razão é também de ordem lógica. Grãos possuem toxinas e anti-nutrientes para impedir que os herbívoros (e nós humanos) comam a prole da planta, afinal, grãos são sementes!

GRÃOS são ainda fonte abundante de carboidrato (e nutricionalmente MUITO pobres), o macronutriente NÃO essencial à vida humana, reduzi-lo assim parece lógico.

Por fim, não me pergunte por que devemos cortar consumo de GRÃOS. Mas pergunte, sim, aos nutricionistas por que diabos consumi-los!