O que NUNCA te contaram sobre Ácido Úrico

Gota acomete 6% dos homens adultos americanos. Mas olhe que interessante: sua incidência dobrou entre os anos 60 e 90! Você acha que o consumo proteico (carnes, por exemplo) aumentou nesse período por lá? Não. Sabe qual nutriente “coincidentemente” aumentou nesse tempo? Açúcares.

O mecanismo da Gota foi descoberto na metade do século 19 por um médico britânico que percebeu que havia acúmulo de ácido úrico no sangue desses doentes. O ácido acumulado se cristaliza e faz pequenos cristais pontudos que inflamam o local, incham as extremidades (dedão o exemplo mais comum) e… AI! Dor!

O ácido úrico é resultado da quebra de um subproduto proteico chamado “purina”. Onde há MUITA purina? Na carne. Hmmm Solução? Cortar o consumo de carne, certo? Calma… vamos ver?

O que acontece quando a pessoa vira vegetariana (e ela passa a comer mais carboidrato, mas vamos deixar isso para depois)? Ela melhora? Não. Uma dieta sem purina não é efetiva (FOX, 1984). Se uma com ZERO carne não funciona, por que uma com menos/pouco funcionaria?

Olhe que interessante… a gota em vegetarianos é em incidência ACIMA do que se espera. Na Índia, o país mais vegetariano do mundo, por exemplo, a incidência é de 7% (americanos adultos 6%). Agora vem a parte interessante… quando analisadas populações primitivas em diversas partes da África ou mesmo na Nova Zelândia, a incidência era de menos de 1 em 1.000 em casos. Mas a partir de 1970, com a industrialização de alguns desses povos, a incidência aumentou (junto com a obesidade, hipertensão, problemas no coração…).

Entre 1960 e 1990 uma série de estudos começou a relacionar a concentração do ácido não com consumo de carne, mas com outra coisa, de nome difícil: hiperinsulinemia. Traduzindo: elevação dos níveis de insulina na pessoa (fora das refeições). E a gente já sabe bem o que faz alguém ter elevação da insulina: consumo de açúcar, farináceos, amido (integral ou não).

A hiperinsulinemia “se resolve” com: muito exercício, jejum intermitente e dieta de BAIXO carboidrato. E quando a pessoa não come carne (ou a evita) ela passa necessariamente a comer mais carboidrato, o que eleva mais a insulina. É um ciclo sem fim.

Por fim, se há 2 nutrientes que alguém com gota ou alto ácido úrico deveria evitar seriam:

1. Álcool;
2. Frutose. Onde há muita frutose (em quantidade)? Açúcar de mesa, refrigerantes, sucos de fruta (natural ou não), xarope de milho (que adoça os alimentos industrializados) e doces.

E observemos outra “coincidência”: o xarope de milho que adoça praticamente todos os alimentos industrializados, foi inventado na década de 70, quando dobrou o número de incidência de gota. E o açúcar de mesa refinado explodiu também na segunda metade do século passado…

E aí? A gota explodiu, o consumo de açúcar também e o homem comia carne há milhares de anos sem sofrer gota. Quem você acha que é o culpado? Seu médico tem um palpite, o problema é que a lógica tem outro…

*Se você gostou do que leu aqui, estou certo de que vai gostar do que vai encontrar de surpreendente no e-book O Nutricionista Clandestino! (você encontra a versão impressa aqui)

Anúncios

Uma ideia sobre “O que NUNCA te contaram sobre Ácido Úrico

  1. Pingback: Leituras de 3a Feira | Blog Recorrido

Deixe um comentário!

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s